Pentencostes: É Tempo de Colheita

O nome Pentecostes vem da língua Grega e significa cinquenta dias depois, a saber, da festa da Páscoa. Originalmente, esta festa possuía três nomes hebraicos: festa das Semanas, festa das Colheitas ou Dia das Primícias. Neste dia, o quinquagésimo, se celebrava a festa de gratidão a Deus pela colheita.

O Pentecostes começava com a colheita simbólica (cf. Deuteronômio 16:9), seguida de uma peregrinação ao lugar do culto. Esta era uma festa de grande júbilo, pois recordava a gratidão de se ter uma terra onde plantar, e a bênção do fruto dessa terra. O Pentecostes começava com a colheita simbólica, seguida de uma peregrinação ao lugar do culto. Esta era uma festa de grande júbilo, pois recordava a gratidão de se ter uma terra onde plantar, e a bênção do fruto dessa terra.

Foi justamente no dia da festa de pentecostes, que os discípulos tiveram a experiência do derramamento do Espírito Santo. Nesse acontecimento maravilhoso cumpre-se a promessa deixada por Jesus no período de seu ministério terreno: “Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai, permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder” (Lucas 24:49). O Senhor cumpriu sua promessa, quando os cristãos estavam em Jerusalém, orando, todos foram cheios do Espírito. Mas esse derramar do Espírito era só para os cristãos do primeiro século? Não. O apóstolo Pedro diz que a bênção é “para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar” (Atos 2:39). A bênção do Espírito Santo é, portanto, para os nossos dias.

Porque Deus escolheu essa data para derramar o Seu Espírito? O Espírito Santo veio auxiliar a Igreja a colher vidas para o Reino de Deus. No primeiro Pentecostes, mais de 3.000 pessoas foram batizadas, criando a primeira igreja (Atos 2.41). O texto segue afirmando: “Muitos, porém, dos que ouviram a palavra a aceitaram, subindo o número de homens a quase cinco mil”. (Atos 4:4). “Crescia a Palavra de Deus, e, em Jerusalém, se multiplicava o número dos discípulos; também muitíssimos sacerdotes obedeciam à fé”. (Atos 6:7).

Pentecostes é festa da colheita de vidas para o Reino. Ainda hoje a nossa tarefa é ganhar vidas para Jesus todos os dias. John Stott, disse que "antes de mandar a igreja para o mundo, Cristo mandou o Espírito Santo para a igreja. A mesma ordem precisa ser observada hoje". O Espírito Santo é Aquele que atualiza a presença de Jesus, e, ao mesmo tempo, capacita a Igreja de Cristo para a sua missão.

O poder do Espírito Santo é dado à Igreja para que ela seja instrumento de Deus para a expansão e crescimento do Reino de Deus, pois não há limites; é de Jerusalém, Judéia, Samaria, e até os confins da terra. Precisamos ter o desejo de ver em nosso meio uma grande colheita de vidas, como uma verdadeira festa de Pentecostes.

Autor: Rev. Carlos Eduardo – Pr. Presidente da Catedral Metodista do Rio de Janeiro - Catete